papel de rascunho

"tenho uma folha branca e limpa à minha espera:"

Colóquio de investigações do poético na UNIFESP

Posted by Virna on 3 abril 2014 | No responses
9 de abril
Abertura (14 horas) – Apresentação dos Organizadores e das Mesas
Intermezzo Poético I – Leitura de poemas (15 minutos)
 
Mesa 1 (14:30 a 16:30): Literatura Francesa – Olhares diversos sobre Yves Bonnefoy
Organização e Mediação: Leila de Aguiar Costa
  • Guacira Marcondes (UNESP/ Araraquara): A verdade de palavra em Yves Bonnefoy e Marceline Desbordes-Valmore
  • Pablo Simpson: (UNESP/ São José do Rio Preto): A memória do mundo e a confiança em Yves Bonnefoy
  •  Leila de Aguiar Costa (UNIFESP): Por uma poética reinventada: Yves Bonnefoy e Manoel de Barros
Mesa 2 (17 a 19 horas): Literatura Hispano-americana – Poesia argentina contemporânea
Organização e Mediação: Paloma Vidal (UNIFESP)
  • Adriana Kanzepolsky (USP): Reverberaciones del duelo o acerca de la muerte en familia
  • Mario Cámara (Universidad de Buenos Aires/ Conicet): Restos audibles, poesía e historia en Martín Gambarotta
  • Ana Porrúa (Universidad Nacional de Mar del Plata/ Conicet): Poesía argentina reciente: objetos y colecciones (entre el objet trouvé, el resto histórico y el souvenir)
20 horas – Aula Inaugural Promovida pelo Departamento de Letras / UNIFESP
“Vinicius: Palavra e Música” – com Zé Miguel Wisnik, Arthur Nestrovski e Paula Morelenbaum
Teatro Adamastor Pimentas
10 de abril de 2014
Palestra (14 horas): Joana Matos Frias (Faculdade de Letras da Universidade do Porto)
“Ao terror do outro respondemos com pedradas cegas”: Notas sobre o desconforto na poesia portuguesa contemporânea
Intermezzo Poético II – Leitura de poemas (15 minutos)
Mesa 3 (15:30 a 18h30 ): Poesia Contemporânea na Literatura Portuguesa
Organização: Raquel Madanêlo de Souza (UNIFESP/Guarulhos)
Mediação:Joana Matos Frias
  • Caio Gagliardi (USP): Jorge de Sena contra a Pátria
  • Leonardo Gandolfi (UNIFESP): Depois da Prosa
  • Francine Ricieri (UNIFESP): Modos diversos de atingir a Índia – gêneros literários e descontinuidade
  • Silvana Pessôa (UFMG): Cenas de escrita na poesia portuguesa contemporânea
 Intermezzo Poético III (19h45)– Leitura de poemas (15 minutos)
 
Mesa 4 (20 horas): Três Linhagens da Poesia Contemporânea Brasileira
Organização: Pedro Marques (UNIFESP)
Mediação: Marcelo Moreschi (UNIFESP)
  • Annita Costa Malufe (PUC-SP): Poetas de Projeto.
  • Érico Nogueira (UNIFESP):  Poetas de Cânone.
  • Pedro Marques (UNIFESP): Poetas de Sacada

Posted by Virna on 27 março 2014 | No responses

janela 2

(Foto: Edward Hopper. Room in Brooklyn, 1932)

Domingo a la tarde

Cuando se sientan frente a frente
amores imposibles, quincallería amistosa,
tipos que se atrevieron y esa mujer intensa
que lleva augurios a felicidades que nunca entenderá,
la buena gente desecha las malas palabras,
la buena gente dice todos tienen posibilidades en la vida,
sienten crecer su amor por esa mujer intensa,
tan sola, que vivirá siempre detrás de una ventana
y todo lo que le ofrecen está demasiado azucarado.

Domingo à tarde

Quando se sentam frente a frente
amores impossíveis, quinquilharia amistosa,
tipos que se atreveram e essa mulher intensa
que leva agouros a felicidades que nunca entenderá,
a boa gente deseja más palavras,
a boa gente diz todos têm oportunidades na vida,
sentem crescer seu amor por essa mulher intensa,
tão só, que irá viver sempre atrás de uma janela
e tudo o que lhe oferecem está açucarado demais.

Juana Bignozzi

Tradução: Virna Teixeira

Posted by Virna on 26 março 2014 | No responses

IC

 

Foto: Iatã Cannabrava

formas aperfeiçoadas da cidade II

o incontestável paulistano enfrenta oitenta e oito quilômetros de lentidão

na rua o dístico
dinheiro & morte

morte & ventre
ventre & dinheiro

o azedo caolho dos engenhos
tudo superprodutivo e mártir

o dístico dinheiro & morte
o ventre o dinheiro oremos

de ralos faz-se a catedral
e abastece-se a passividade

de um domingo sem vacina
ânimo pouco e nenhum sinal

despeja-se fora uma nova
segunda-feira já em dívida

estamos todos bem é a lida
engole-se & vamos à desova

taxistas sabem repousar num domingo
tem muita gente te chamando na televisão

o sonambulismo é tendência é moda é mão
há tapa-olhos coloridos há jogos de bingo

acompanhado de banhas fritas & água-benta
ficamos a sós, medidos à massa, tudo vai bem

é nova a garrafa, ignoramos as contas, nos pés de ninguém
deixamos o dístico, inchaço e refrão, rebento

amanhã é dia de branco, opaca
uma aspirina e mal

engole-se está tudo bem complacente igual
morte & dinheiro dinheiro & ventre gira catraca

Roberta Ferraz

Em: Saturação de Saturno. Oficina Raquel, 2013.

 

Roberta Ferraz se apresenta hoje com o poeta Paulo Sposati Ortiz no projeto Travessias, na Livraria Martins Fontes (Av. Paulista, 509 – Metrô Brigadeiro) às 19h30.

Posted by Virna on 20 março 2014 | No responses

216740-nicole-brossard

on avait vu la vie monter
très haut parmi les installations
la couleur se transformer
en tigre et origine
derrière la fenêtre
on avait appris
à déjouer l’idée de vérité
dans l’obscur et autrement

víamos a vida subir
muito alto entre as instalações
a cor se transformar
em tigre e origem
atrás da janela
aprendíamos
a evadir a ideia de verdade
no obscuro e de outro modo

Nicole Brossard

Tradução: Virna Teixeira

Posted by Virna on 19 março 2014 | No responses

joana

 

“A perda como protagonista de uma história sem história. a escritura do silêncio, a imagem fantasmática.”

Joana Corona

Transitando

Posted by Virna on 19 março 2014 | No responses

IMG_5426

Érica Zíngano e Flávia Memória continuam postando cartazes do projeto pela cidade.

E o blog do “Trânsitos de leitura” ficou pronto. O endereço é: http://transitosdeleituras.blogspot.pt

 

Literatura de passagem

Posted by Virna on 19 março 2014 | No responses

Trecho da matéria sobre o projeto “Trânsitos de leituras” ontem, no jornal “O Povo” de Fortaleza:

O projeto tenta fisgar, nos lugares mais improváveis, com pequenos cartazes colados na rua, a atenção do leitor desapercebido, que por obra do destino ou do motorista do ônibus deu de cara com a parede estampada por uma pílula literária. O leitor que, no emaranhado de ruídos (sonoros, mas também visuais) da cidade, dá-se conta de uma poesia ou um micro-conto. E segue. Mais adiante, encontra outra parte desse texto, que pode nem ser o mesmo, mas compõe a geografia do Trânsitos de Leituras.

Para ler o artigo completo clique aqui

 

Posted by Virna on 13 março 2014 | No responses

discoangola2

 

Stan Douglas. 1974, 2012. Disco Angola.

(Um parêntese)

Posted by Virna on 12 março 2014 | No responses

Saíram poemas meus na terceira edição da Revista Parênteses. A revista pode ser lida em pdf e em breve, ainda esta semana, em epub e mobi.

Posted by Virna on 26 fevereiro 2014 | No responses

candidolivro

assobio

opiácea vontade de correr
um meio dia
entre vogais

construir com o pulso
estridência

gana de esconder-se
numa coluna
de pássaros

mastigar cinza
de gorjeio

silbido

opiáceos deseos de correr
un mediodía
entre vocales

construir com el pulso
estridencia

ganas de esconderse
en una coluna
de pájaros

masticar cenizas
de gorjeos

para um tango

de onde vêm teus cabelos
quando retornam
aos ombros

para onde vai a paisagem
quando teu rosto
passa

que ambíguo deserto
tua presença provoca

para un tango

de dónde vienen tus cabellos
cuando retornan
a tus hombros

hacia dónde va el paisaje
cuando el rostro
passa

qué ambiguo deserto
tu presencia provoca

Cândido Rolim

Em: Pedra habitada/ Piedra habitada, edición bilingüe. Tradução de Óscar Limache e Alfredo Luiz. Amotape libros, 2013.

 

 

Pedra habitada, do Cândido Rolim, foi publicada recentemente nesta edição bilingue em Lima, Perú. Cândido nasceu em Várzea Alegre, CE, em 1965. Passou alguns anos transitando entre Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Vive há quatro anos em Fortaleza.